Aguarde...

Benvindos Benvindos

Associativismo

•  Banda Filarmónica 1.º de Janeiro de Carragozela

A Filarmónica 1º de Janeiro de Carragozela foi fundada em 01 de Janeiro de 1872 e ao longo dos seus 139 anos de existência tem vindo a desenvolver uma intensa actividade cultural, tendo passado por esta escola de música rapazes e raparigas de várias gerações quer da freguesia de Carragozela, quer de localidades vizinhas.

A organização da Filarmónica 1º de Janeiro foi bastante difícil, tendo sido seu primeiro regente o Carragozelense António Rodrigues Mendes Prata que aprendeu música no Casal de Travancinha - Seia.

Efectivamente, antes da formação da Banda de Carragozela, os nossos conterrâneos iam aprender música e participar nos ensaios no Casal de Travancinha, calcorreando a pé, após a jornada de trabalho, os cerca de 12 Km de distância entre as duas localidades.

Importa salientar a regência, durante uma parte deste período, dum maestro Carragozelense com verdadeiro génio de artista e que todo o povo recorda com saudade: Alberto Marques Balbino.

Importante destacar também neste breve historial a entrega, dedicação e empenho do maestro nosso conterrâneo José Luís Ferrão Tavares, que assegurou a regência da Filarmónica e da Escola de Música durante 29 anos, de 1975 a Dezembro de 2004.

A Filarmónica 1º de Janeiro tem ao longo dos anos, sobretudo no Verão, efectuado actuações em inúmeras festividades por todo o País, com especial incidência nos distritos da Guarda, Coimbra e Castelo Branco.

A Banda de Carragozela colabora também regularmente em eventos organizados pelo INATEL, com destaques para o Dia Mundial da Música, bem como em diversas iniciativas promovidas pela Câmara Municipal de Seia, de que se destacam a participação na Feira do Queijo e nas comemorações do dia da Cidade (03 de Junho).

A própria Filarmónica tem vindo a organizar com regularidade, diversos eventos ao longo do ano com especial destaque para os Concertos de Primavera e de Natal.

A actividade dos executantes da Filarmónica 1º de Janeiro, que continuam a ser maioritariamente da freguesia de Carragozela, mas a que se juntam em perfeita harmonia, executantes de outras localidades, é exercida a título gracioso, sendo a única possibilidade de sobrevivência da colectividade, dados os reduzidos os apoios de que beneficia.

A Filarmónica conta actualmente com cerca de 40 executantes, bem como a sua Escola de Música frequentada por cerca de 20 alunos, sendo dirigida desde Janeiro 2011 pelo professor e maestro Filipe André Reis Simões.

A importância da actividade desenvolvida pela Filarmónica 1º de Janeiro em prol do desenvolvimento da cultura, quer da freguesia de Carragozela, quer do Concelho de Seia e do País, foi devidamente reconhecida pela atribuição do Estatuto de Utilidade Pública à Colectividade, devidamente publicado em Diário da República.

 

Os laços que ligam o povo à sua Filarmónica, quer os residentes na freguesia, quer os residentes noutras paragens de Portugal ou no Estrangeiro, são de um enorme amor e carinho como é evidenciado pelo elevado número de associados da colectividade, cerca de 260, o que constitui garantia de continuidade e desenvolvimento da mais antiga e prestigiada Instituição da freguesia de Carragozela.

 

•  Grupo de Cantares “ Gerações” de Carragozela

O grupo de cantares Gerações nasce em Abril de 2013, da vontade da então Junta de Freguesia em dinamizar os jovens da aldeia.

Reúnem-se então alguns jovens, dialoga-se sobre as possíveis actividades a desenvolver, combinam-se alguns encontros e neles aparecem alguns instrumentos musicais, cantam-se e tocam-se alguns temas da música tradicional e em pouco tempo os pais e avós, que acompanham os jovens, participam também a cantar e a ensinar o que em tempos cantavam, em perfeita sintonia com os mais novos.

A música que ali se canta toa para fora das paredes do edifício e a população senta-se do lado de fora a ouvir os cantares. No fim de cada encontro muitos são, então, os que nos incentivam a sair da aldeia para mostrar o trabalho que ali se faz.

É necessário dar nome ao grupo! Ideia daqui e dali e alguém lembra que no grupo existem três gerações: avós, pais e filhos. Surge então: “GERAÇOES “, gerações é o nome!

A 1ª actuação surge ainda a medo e desde aí o grupo Gerações tem sido solicitado para os mais diversos eventos.

 

O grupo Gerações fez parte do departamento cultural da Associação de Solidariedade e Acção social de Carragozela, até final do mês passado, tendo agora vida própria e adquirindo personalidade jurídica através da constituição de uma associação própria, contudo os objectivos mantêm-se os iniciais e que passam pela recolha, execução e transmissão, às novas gerações, dos cantares populares portugueses.

•  União Desportiva, Recreativa e Cultural de Carragozela

•  Irmandade do Santíssimo Sacramento de Várzea de Meruge

•  Liga da Juventude e Desporto do Arcozêlo de Várzea



Compartilhar titulo produto

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de utilização. Ao utlizar o website, confirma que aceita a sua utilização.